A Vida de Elisa

Quando Paulo chegou para buscar suas coisas, três dias depois, quem o recebeu foi Kátia. Ele não gostou muito da ideia, mas juntou suas coisas e foi embora.
Elisa voltou a sua rotina. Continuou com as aulas e passava as horas redecorando sua casa. Um belo dia ela resolveu separar todas as coisas que a faziam lembrar Paulo, mas não conseguiu jogar fora, deixou numa caixa. Ela parecia ter entrando em transe. Um dia chegou em casa e tinha um recado na secretária eletrônica:
– Elisa, já que você quer se separar, eu entrei com o pedido de divórcio. Meu advogado vai te procurar para assinar os papéis, espero que você coopere.
Ela ficou possessa e repetiu por horas a frase de Paulo.
– Espero que você coopere? Quem ele pensa que é? Ele não tem direito nenhum de esperar nada. Eu quis terminar, é claro que eu vou cooperar.
– Calma Elisa! Ele está querendo sair por cima da situação.
– Mas essa situação é minha Kátia, eu criei, eu quis terminar.
– Nesses casos é melhor você procurar um advogado. Você tem algum? Se quiser a minha prima trabalha bem nessa área, pode te ajudar. Vou marcar um almoço com ela.
Dois dias depois, Elisa se encontrou com Luisa. Ela era alta, morena, estava sempre sorrindo, muito bonita e sensual. Luisa tinha um brilho no olhar que intrigou Elisa. “Quero ser assim!”.
– Você fez bem em me chamar, querida. Aquele canalha quer tirar tudo de você, mas nós não vamos deixar. Homem nenhum deveria se aproveitar de mulheres nessa situação. Eles são uns porcos. Mas não se preocupe, vou tirar as calças dele. – Disse a advogada com um sorriso confiante.
Ela tinha uma postura agressiva e uma visão particular destas situações. O advogado de Paulo disse que ele tinha direito a ficar com metade dos bens de Elisa. Foi uma separação com briga judicial, muita raiva e mágoa. Por diversas vezes Elisa pensou em desistir e dar o que ele queria, só para acabar logo. Foi a vez de Kátia interferir:
– Bom você já deu fama para ele e metade da sua vida, se você quer dar uma casa, está dentro do seu livre-arbítrio. Mas me diga, o que você ganhou de tudo isso, querida?
– Como assim? O que você quer dizer com isso?
– Quero dizer, você fazia ele feliz, ele fazia ele feliz, e você?
Aquilo soou como um soco na boca do estômago. E depois de chorar por uma noite inteira, ela reagiu. Elisa acordou outra mulher, mais decidida, mais impiedosa, mais Luisa.
Como a advogada prometeu, Paulo ficou sem as calças, e Elisa finalmente jogou as coisas dele fora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s