Coração De Um Artista Sofredor

Eu te amo tão quieto
Como um sussurro
Que nos adormece
Em noites quentes

O coração fica pequeno
Para tanto amor
E mesmo assim eu
Te espero sentada
Com uma vontade
Que infla o peito
De gritar aos
Quatro ventos

Dono da minha alma
Não sei se te amo
Desse amor aí de poeta
Não tenho para tanto
Nada concreto

E nesse mar de vida
Eu vou, sentindo
Falta da minha parte
E agora, o que restou
É dor ou arte?

Publicado por Daniela Farah

Poetisa, escritora, jornalista, observadora da sociedade, pensadora da vida e curiosa. Fiz minha primeira poesia aos oito anos e desde então nunca mais parei de escrever. Ainda criança gostava de contar histórias sobre coisas da minha vida que nunca tinham acontecido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: