Me Deixa

Enquanto houver o respeito
eu lhe peço encarecidamente
meu amigo,
não brinque com
meus sentimentos

Pareço-lhe tola
infantil ou leviana
mas a minha sensibilidade
estala na pele
sou de vidro
do mais fino cristal

Antes que lhe deseje o mal
eu lhe aviso
encarecido amigo
não me procure mais
para falar de amor
não me diga palavras doces
que ecoam por dias
em meu coração

Não iluda o meu sorriso
com risos enebriados
e conversas reveladoras,
cordeiros assados
e yakissobas

Nada de engenheiros,
ou holandeses voadores,
nem maestros estrangeiros,
nem cantores

Não me fale das coisas lindas
que viu e lembrou de mim
ou do por do sol
no fim do dia
Não me diga que vem me ver
em janeiro ou no fim de abril

Publicado por Daniela Farah

Daniela Farah é curitibana de coração, jornalista formada pela PUC-PR e sempre esteve ligada às artes, estudou produção cênica, língua portuguesa, literatura e violão no Conservatório de MPB do Paraná. Tem o blog “Adanibella – Todo dia é dia de Poesia” para trabalhos literários, é redatora da Roadie Music e participa do grupo Mulheres e Poesias.

2 comentários em “Me Deixa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: