O Chá

Você pintou o cabelo. Ele disse fechando os olhos para focalizar melhor. Ela estava sentada em uma cadeira vermelha exatamente sob um ponto de luz. Parece mais avermelhado, mas com as pontas loiras. Eu não consigo ver claramente por causa da luz. Ela sorri. Ficou bom? Eu gostei. Cabelo rebelde combina mais com você. Então ele me acha rebelde, pensou. Ela se levantou e foi para a janela. Você tem uma vista bonita daqui. Por isso você comprou, não é mesmo? Ele riu. Quando entrei aqui eu já queria fechar o negócio de tanto que eu gostei. Mesmo com as paredes azuis. Eram azuis? Sim, mas pintei. Ficou bonito! O piso também era diferente, horrível, aí troquei. Ela se aproximou e sentou na ponta da cama. Você quer um café? Disse ele se levantando para a cozinha. Quero! Eu comprei essa máquina de expresso, muito boa. Eu só tomo café com açúcar, antes que voce diga que eu estraguei seu café. Não tenho açúcar. Então acho que não vou querer o café. Ele coloca o café numa xícara, cinza como a parede. Se senta na cama. Enquanto toma o café, olha pra ela, que está de costas. Ele sempre faz isso. Talvez pela liberdade de olhar o que ele quiser sem que ela saiba, e viajar sozinho em seus pensamentos. Talvez porque goste de tirar fotos mentalmente. E ela sempre pergunta. Ela sempre quer conversar. Ela se vira e estraga o momento. Você quer um chá? Aceito! Ele coloca a água para esquentar enquanto procura alguma coisa. Ela fica na cama olhando de longe. Por que ele sempre se afasta?

Publicado por Daniela Farah

Poetisa, escritora, jornalista, observadora da sociedade, pensadora da vida e curiosa. Fiz minha primeira poesia aos oito anos e desde então nunca mais parei de escrever. Ainda criança gostava de contar histórias sobre coisas da minha vida que nunca tinham acontecido.

13 comentários em “O Chá

      1. Bem, vamos viajar na história: ela já deve ter dado outras deixas pra ele; Ao que parece, ele percebeu, mas fugiu.
        Ele pode não ter ainda vivido um grande amor, ou, pode ter se decepcionado no passado. Medo, receio, timidez… podem estar conectados impedindo-o de quebrar alguma regra interior que pode muito bem ser o maior estorvo na vida dele.
        Provavelmente ele quer, e por não conseguir, deve sofrer quando está a sós.

        Curtido por 1 pessoa

      2. Adorooo viajar nas histórias!! 😍 “regra interior que pode muito bem ser o maior estorvo na vida” ameeeiii essa frase!! 👏👏👏 todos temos não é? É difícil reconhecer e ter coragem de mudar!

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: