Você vê?

Sempre ouvi aquela máxima de que a gente tem o amor que acha que merece. É de um filme, certo? Ouvi ela no sábado, inclusive. É uma frase tão bonita que faz com que você queira repetir até internalizar. Mas acreditar que você merece o amor por si só já deixa muita gente roendo as unhas. Aceitar que você é culpado pelo desamor que recebe cria pelo menos dois tipos de pessoa: aquela que senta e chora e acredita que jamais vai ser amada e aquela que veste a camisa e faz de tudo para não ser. Eu podia dizer que o amor próprio é uma conquista diária (e qual não seria?). Se fosse para definir acho que estar em paz comigo mesma faz mais sentido do que qualquer outra frase. A vida é um conjunto de coisas e situações, e como você reage a elas. Eu me vejo diversas vezes tão presa a contextos internos que não reconheço o código que vem de fora. Mas não interpretamos sempre as coisas com base no que acreditamos? Quando se carrega o desamor, a declaração mais bonita se torna feia, porque usamos os óculos errados. Porque somos cegos e não enxergamos o amor na nossa frente. Mesmo que ele seja só um reflexo no espelho, ou nos seus olhos negros. Não via o amor porque estava olhando para as suas palavras e não para a sua alma. E me pergunto: você vê?

Publicado por Daniela Farah

Poetisa, escritora, jornalista, observadora da sociedade, pensadora da vida e curiosa. Fiz minha primeira poesia aos oito anos e desde então nunca mais parei de escrever. Ainda criança gostava de contar histórias sobre coisas da minha vida que nunca tinham acontecido.

8 comentários em “Você vê?

  1. Nós somos diretamente responsáveis por tudo que fazemos… a realidade é bastante simples (por mais que a gente goste de complexar tudo) cada ação gera reação e somos bastante passionais nas atitudes, logo… sim o amor e o não amor (desamor) é fruto que a gente colhe a partir do que entrega ao outro.
    Mas o dificil é se responsabilizar pelas nossas ações, a maioria de nós prefere passar para o próximo da fila. rs

    Hoje minhas leituras estão a me oferecer temas interessantes, rá
    bacio

    Curtido por 1 pessoa

    1. Adorei seu comentário, Lunna. Só discordo quanto a realidade simples e vou dizer porque. Acho que sempre que lidamos com o outro é complexo porque cada um tem o seu universo particular. E ao meu ver muitas vezes é uma colisão de mundos. Concordo que a simplicidade está em ação e reação, regra essencial em qualquer tipo de interação ( já dizia a Química! rs). Mas acho que o desamor não é só resultado do que se “plantou”, é também do que o outro tem a oferecer. Porque não somos perfeitos e não lidamos com seres perfeitos. Muitas vezes esquecemos disso. Concordo com vc! O negócio é olhar para dentro sempre. :) Volte a escrever mais vezes aqui! Adoro comentários filosóficos! ❤ O que mais vc andou lendo? Fiquei curiosa! Hehehe… beijos!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: