Estrelas de Papelão 

Esquecemos que todos morremos um dia. Mas também morremos um pouco a cada dia. Fato esse comprovado pelo fato de que as coisas de hoje não são como foram ontem. Sim, estou aqui chovendo no molhado e choverei todas as vezes em que precisar compreender melhor a vida. Falar coisas óbvias fazem a gente pensar melhor. Ou talvez as pessoas esperem que você vá inventar a roda em cada texto novo. Eu não sei e às vezes a ignorância é uma benção. Fato é que boas memórias não servem para serem revividas porque não serão. Quantas vezes o bom e o ruim estão sob uma linha tênue, mas tão fina que você mal consegue diferenciar?

Cada vez mais sinto que as coisas que me prendiam aqui não fazem o menor sentido. É como se a vida me desse o impulso lento para o trampolim que leva a lugar algum. Porque todas as coisas levam a lugar algum. Porque não há para onde se ir. E também não há porque ficar.
E entre esses devaneios incompreensíveis, aqui estou eu, deitada no escuro enquanto percebo pequenas luzes que vem de fora, da rua. Como se fossem estrelas de papelão. Palpáveis. Como se fossem palpáveis e de uma maciez tão exuberante que jamais as levaria embora. Sinto sua felicidade daqui e não gosto. Porque sou egoísta. Porque não sei e não consigo andar para frente. Porque meus passos largos me parecem tão pequenos que jamais alcanço o que quero. A distância corre enquanto me aproximo, por mais que eu corra junto. E eu corro, juro! E quando não mais me sobram pensamentos, quando não mais me penso, não existo. E só me resta fechar os olhos e me entregar, ao escuro e ao nada. Devemos ser nada para sermos tudo, repito enquanto adormeço.

Anúncios

10 comentários Adicione o seu

  1. Ricardo Cunha disse:

    Se cada dia cai,
    dentro de cada noite,
    há um poço
    onde a claridade está presa.

    Há que sentar-se na beira
    do poço da sombra
    e pescar a luz caída
    com paciência.

    Pablo Neruda

    Curtido por 2 pessoas

    1. Daniela Farah disse:

      <3 Lindo!!! Sábio, sábio Neruda! Pescaremos então! Grata por compartilhar! Abraço guri! :)

      Curtido por 2 pessoas

  2. Juju disse:

    “Devemos ser nada para sermos tudo” deveria ser um mantra. Beijão

    Curtido por 1 pessoa

    1. Daniela Farah disse:

      Sim, Juju!!! Quanto menos vc carregar, mais espaço sobra… Beijo Grande! <3

      Curtido por 1 pessoa

      1. Juju disse:

        Verdade praticamente absoluta. Beijão para você e ótima semana.

        Curtido por 1 pessoa

      2. Daniela Farah disse:

        Obrigada, Ju! Uma ótima semana para você também! Beeejo!!

        Curtido por 1 pessoa

      3. Juju disse:

        Beeejão!

        Curtido por 1 pessoa

  3. Angela disse:

    Muito top, adoro suas poesias.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Daniela Farah disse:

      <3 <3 Rooo!!! Graças ao seu trabalho maravilhoso que hoje eu consigo publica-las!! <3 <3

      Curtir

  4. aderitomepo disse:

    Adorei o texto.magnífico

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s