Sobre o Parque

Eu sei que você vai escrever sobre isso, você disse repetidas vezes.
E eu, com meu senso de humor único, ri.
O que mais eu deveria dizer? O que escrever exatamente? Sobre a graciosidade particular da companhia, a cumplicidade entre as coisas que nós dividimos ou a competição acirrada sobre quem está certo?
Poderia muito bem falar de como é almoçar com o nariz coçando pela pimenta do seu prato, ou do fato de experimentar coisas novas juntos e isso não me deixar desconfortável.
Poderia falar que você é péssimo em elogios, e do quanto meus abraços espontâneos te deixam desconfortável, feliz, mas ainda assim, visivelmente desconcertado.
Poderia também falar sobre como fiquei chocada de saber que você gosta de Bon Jovi, mas ao mesmo tempo, combina com seu jeito romântico de ser.
Ainda poderia dizer do quanto detesto quando você tenta me manipular em vez de simplesmente me dizer as coisas.
Poderia falar que gosto muito da sua companhia e que me orgulho do quanto você mudou ao longo dos anos.
Poderia escrever sobre o parque, mas sem muita certeza sobre o que deveria ser dito.

Publicado por Daniela Farah

Daniela Farah é curitibana de coração, jornalista formada pela PUC-PR e sempre esteve ligada às artes, estudou produção cênica, língua portuguesa, literatura e violão no Conservatório de MPB do Paraná. Tem o blog “Adanibella – Todo dia é dia de Poesia” para trabalhos literários, é redatora da Roadie Music e participa do grupo Mulheres e Poesias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: