Dois Estranhos

Existe uma parte de mim
Em cada pedaço seu
Uma lembrança escondida na pele
E o seu sorriso que não sai dos meus lábios
No entanto eu estou aqui parada
Apenas te admirando
Eu estou aqui sem palavras
Como se nós fôssemos dois estranhos.

Os meus olhos mostram
Mais do que eu quero dizer.

Sinto minhas pernas tremerem
Eu quero ir embora
Agora
Viro-me subitamente
Eu quero você.

Os olhares trocados
As bocas se beijando
As mordidas, arranhões
Pneus furados
Ciúmes, ah, o ciúmes
O dia amanhecendo
Ternos, vestidos
Chuvas e choros
O sol do meio-dia
Fotos, mensagens
E você apenas.

Publicado por Daniela Farah

Poetisa, escritora, jornalista, observadora da sociedade, pensadora da vida e curiosa. Fiz minha primeira poesia aos oito anos e desde então nunca mais parei de escrever. Ainda criança gostava de contar histórias sobre coisas da minha vida que nunca tinham acontecido.

Um comentário em “Dois Estranhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: