Saber amar

Eu nunca soube amar alguém. Toda vez que esse sentimento se colocava dentro de mim eu corria. Eu sofria porque queria tirar isso de dentro de mim. Alguma parte minha sempre relacionou amor com sofrimento. Era como se um alerta de perigo ficasse ligado aqui dentro.
E era algo que eu não conseguia controlar.
Uma vez um menino que eu era apaixonada me disse “eu te amo”. Tudo que eu queria ouvir. Queria abraçar ele. Queria dizer que eu o amava também. Mas não. Virei as costas e fui embora. Só isso. Não pensei, só fiz.
E quando as pessoas me perguntavam porque eu fiz aquilo, eu nem sabia responder.
Medo. Cada vez que uma situação dessa se colocava, o medo me possuía. Mas medo do que? Não faço ideia. Faço uma lista: de me magoar, de ser rejeitada, de ser feliz, de acabar, de viver. Amar alguém era como ficar no escuro. E eu nunca suportei a ideia de ficar no escuro.

Publicado por Daniela Farah

Daniela Farah é curitibana de coração, jornalista formada pela PUC-PR e sempre esteve ligada às artes, estudou produção cênica, língua portuguesa, literatura e violão no Conservatório de MPB do Paraná. Tem o blog “Adanibella – Todo dia é dia de Poesia” para trabalhos literários, é redatora da Roadie Music e participa do grupo Mulheres e Poesias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: