Jogo de Xadrez

Cada passo calculado com cuidado
Suas palavras, todas elas tão medidas
As mãos escondidas nos bolsos blindados
Abraços maliciosamente malogrados.

Cadê a iniciativa para deixar
de ser um amigo, só mais um amigo
e virar de verdade meu ser amado?

Tenho medo que ao abrir o meu coração
pequeno e sensível, tu me deixe só
e todo o amor que existe seja em vão.

Não há razão portanto para que eu lhe diga
Sobre o que eu sinto ou do que é, por certo, seu
Xeque-mate, anuncia o fim desse jogo,
e a rainha sou eu.

Publicado por Daniela Farah

Daniela Farah é curitibana de coração, jornalista formada pela PUC-PR e sempre esteve ligada às artes, estudou produção cênica, língua portuguesa, literatura e violão no Conservatório de MPB do Paraná. Tem o blog “Adanibella – Todo dia é dia de Poesia” para trabalhos literários, é redatora da Roadie Music e participa do grupo Mulheres e Poesias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: