A Fuga

Não me olha assim
Eu preciso ir
Ficar agora não vai mudar
Daqui a pouco você vai acordar
Também dói em mim
Mas é melhor eu ir.

Ninguém vai mudar
nós dois
Demorei para entender
É só a gente
que faz sentido sem querer
Não importa o antes e o depois
Ninguém vai mudar nós dois.

Mas isso você sempre soube
E eu nunca dei valor.

Eu preciso ir
Porque logo a razão volta
Com o seu lampejo de fugir
E você me deixa só
Não vai adiantar pedir.

Mas a gente mudou
Tanta coisa diferente
História, bebida, emprego
Cabelo e conta corrente
E no fim o beijo é o mesmo
Aquele
Com encaixe perfeito.

Publicado por Daniela Farah

Poetisa, escritora, jornalista, observadora da sociedade, pensadora da vida e curiosa. Fiz minha primeira poesia aos oito anos e desde então nunca mais parei de escrever. Ainda criança gostava de contar histórias sobre coisas da minha vida que nunca tinham acontecido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: