Saudade

Não poderia falar jamais sobre o que se passa aqui dentro, ninguém entenderia e eu mesma jamais entendo. Sinto falta não do que se foi, mas de como eu me sentia. Mesmo que isso não faça sentido algum. Todos os nossos amores são diferentes. Gostava da liberdade, de passear a noite, de estar apenas com quem amava. Das loucuras, das lágrimas, dos beijos. Não sinto saudades suas, sinto saudades minhas… Sinto saudades de um amor que eu acreditava, mesmo que você não merecesse.

Publicado por Daniela Farah

Poetisa, escritora, jornalista, observadora da sociedade, pensadora da vida e curiosa. Fiz minha primeira poesia aos oito anos e desde então nunca mais parei de escrever. Ainda criança gostava de contar histórias sobre coisas da minha vida que nunca tinham acontecido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: